Bebê que nasceu sem rins celebra primeiro Natal fora da UTI Neonatal

“Estou segurando um milagre nas mãos”, disse a mãe

Categorias

Compartilhe

Na cidade de San Diego, Califórnia (EUA), a pequena Evely comemorará o primeiro Natal fora da Unidade de terapia intensiva neonatal (UTIN) pela primeira vez. A menina nasceu sem rins e, consequentemente, permaneceu por quase cinco meses na UTIN do Hospital Infantil Rady.

De acordo com informações obtidas pelo jornal ABC News, Heidi Chrisman, mãe da bebê, percorreu a UTIN nível quatro inúmeras vezes. O local é reservado para os recém-nascidos que estão em estado grave. Evelyn apresenta uma condição rara chamada agenesia renal bilateral, que é tipicamente fatal devido a ausência de rins no corpo. Sem esses órgãos, os pulmões do feto não se conseguem se desenvolver por completo. As condições podem ser genéticas, porém, Heidi afirmou que os testes mostraram que esse não é o caso da filha.

Evelyn no colo da mãe Heidi (Foto: Reprodução ABC News)

“Estávamos na consulta de 18 semanas, e o médico disse que eles não conseguiam encontrar nenhum rim ou bexiga. Foi de partir o coração. Acho que eu e meu marido ficamos em transe por semanas”, relembrou a mãe, acrescentando que o médico lhe havia dito que apenas três opções eram possíveis depois de descobrirem o estado de Evelyn. “Espere a gravidez e talvez leve meia hora a algumas horas com ela antes que ela passe, ou podemos interromper a gravidez agora.” A terceira opção foi infundir uma solução salina no saco amniótico a fim de permitir que os pulmões se desenvolvessem durante a gravidez. Logo, a esperança era após o nascimento, em que a criança poderia passar por diálise e depois um transplante de rim.

O pai de Evelyn está na Marinha, mas, durante a gravidez, ele esteve na Flórida. Heidi disse que foi difícil vir para San Diego, porém tinha conhecimento de que os melhores cuidados estavam na cidade da Califórnia. O pai de Evelyn está na Marinha, mas, durante a gravidez, ele esteve na Flórida. A mãe da pequena se mudou para San Diego, onde tem família e deu início as infusões, mesmo sabendo que a equipe médica não tinha certeza se os procedimentos funcionariam.

Felizmente, quando Evelyn nasceu, os seus pulmões mostravam-se saudáveis com o grito da bebê. “Estou segurando um milagre nas mãos”, disse a mãe. A menina passa por diálise. 13 horas por dia e permanecerá com o tratamento até que ela consiga realizar um transplante de rim. Ela pesa cerca de sete quilos, mas precisa atingir 10 a fim de conseguir o órgão, que virá de um adulto.

A nefrologista pediátrica, Nadine Benador, afirmou ter visto apenas três desses casos em 20 anos de prática. Ela explicou que um em cada 10.000 bebês tem essa condição. Para maior felicidade da família, além do estado de saúde atual da criança, o marido de Heidi também está em San Diego.