Bebê que foi diagnosticado sem ânus após 24 horas de vida é submetido a cirurgia

De acordo com os familiares, não há informações se a criança passará por mais cirurgias e qual será a previsão de alta

Categorias

Compartilhe

Resumo da Notícia

  • Na noite da última segunda-feira (24), um bebê, que foi diagnosticado com má formação e nasceu sem ânus, passou por uma cirurgia
  • Ele nasceu na Maternidade Cândido Mariano e o problema só foi constatado 24 horas após o nascimento
  • De acordo com os familiares, não há informações se o bebê passará por mais cirurgias e qual será a previsão de alta

Na noite da última segunda-feira (24), um bebê, que foi diagnosticado com má formação e nasceu sem ânus, passou por uma cirurgia. Ele nasceu na Maternidade Cândido Mariano e o problema só foi constatado 24 horas após o nascimento.

De acordo com a família da criança, o recém-nascido foi submetido à cirurgia na noite da última segunda-feira no Hospital Regional. Ele foi transferido para a unidade na mesma tarde e, após a cirurgia, o pequeno recebeu uma bolsa de colostomia, um equipamento usado, normalmente, de forma temporária para o desvio do fluxo intestinal.

A criança só foi diagnosticada após 24 horas de vida (Forto: Reprodução/Midiamax)

Ainda de acordo com os familiares, não há informações se o bebê passará por mais cirurgias e qual será a previsão de alta. Quando o garoto nasceu, às 6h da manhã do domingo, havia um pediatra na sala de parto, mas nada foi dito à família. “O bebê até tomou banho no mesmo dia, às 14h. O pediatra olhou novamente e disse que ele estava normal para a mãe”, disse uma parente.

A mãe da criança é uma jovem de 17 anos e passou por um parto normal. Ela estava no hospital acompanhada pela avó e o bebê está internado e não pode receber visitas. “Só hoje, um dia depois, que nos falaram isso, que ele não tem ânus. O alimento dele está voltando pela boca e ele precisa de uma vaga urgente em hospital para operar. Nenhum médico, nenhum pediatra, apareceu para explicar. E outra coisa: como pode passar por avaliação do médico e só verem isso 24 horas depois?”, comentou um dos familiares.

“Dependendo do tipo de malformação, o diagnóstico só é possível de 24 horas a 48 horas após o nascimento, quando o recém-nascido apresenta sintomas como vômitos e distensão abdominal. Foi o que aconteceu com o bebê”, esclareceu a maternidade em nota.

-Publicidade-

Má formação

Na cidade de Pune, na Índia, uma bebê menina nasceu aparentemente normal. Com 2,3 kg e filha de uma mulher jovem, de apenas 22 anos, nada parecia errado com ela. No entanto, 13 horas após seu nascimento, a mãe percebeu que sua filha estava urinando e defecando pelo mesmo lugar – a partir disso, um exame mais minucioso dos médicos constatou que a recém-nascida não tinha abertura anal.

Defeitos no ânus ocorrem em um em cada 5.000 bebês. De acordo com relatório médico, divulgado pelo Medical Journal Armed Forces India, nenhum dos exames realizados antes do nascimento da criança constatou qualquer tipo de má formação. Mãe e bebê estavam com boa saúde. Após o parto, os médicos presentes durante o nascimento disseram que examinaram o ânus e o consideraram “aparentemente normal”.

A deformidade no ânus da bebê estava encoberta por pele. Os exames mostraram que a menina tinha um reto normal, mas essa pele havia crescido sobre a abertura anal e um canal havia se desenvolvido entre o intestino e a vagina. Isso fazia com que as fezes viajassem através do canal, conhecido como fístula, e fossem excretadas de um orifício diferente do reto – o mesmo que libera a urina.