Bebê de bombeiro morto em incêndio recebe medalha

Geoffrey Keaton, de 32 anos, morreu enquanto combatia fogo que se alastrou na Austrália

Categorias

Compartilhe

Um bebê de apenas 1 ano de 9 meses recebeu uma medalha em homenagem ao seu pai, o bombeiro Geoffrey Keaton. O homem é um dos voluntários que perderam a vida enquanto combatiam o fogo que está atingindo a Austrália nos últimos dias. O bombeiro tinha 32 anos e morreu no dia 19 de dezembro, após o caminhão onde estava atingir uma árvore em chamas.

O funeral foi realizado e durante a cerimônia a homenagem foi feita. Usando uma chupeta, o pequeno Harvey recebeu a honraria pelo seu pai. O momento foi fotografado e divulgado pelo Serviço Rural de Bombeiros da Nova Gales. Na imagem, o comissário Shene Fitzsimmons aparece colocando o objeto no filho do voluntário. O bombeiro recebeu o mérito por “Bravura” e “Serviços Extraordinários”.

Bebê de bombeiro morto em incêndio recebe medalha (Foto: Reprodução/ New South Wales Rural Fire Service)

Geoffrey Keaton morreu ao lado do colega Andrew O’Dwyer. Ele foi premiado postumamente com louvor e bravura pelos serviços prestados ao Corpo de Bombeiros Rural. O primeiro-ministro australiano Scott Morrison, que enfrentou críticas em relação ao combate aos incêndios, juntou-se à família e aos amigos de Keaton para a cerimônia.

De acordo com o site Sky News, dezenas de bombeiros formaram uma espécia de guarda de honra assim que o carro funerário do pai de Harvey entrou em um cemitério em Sidney. Em cima do caixão de Geoffrey Keaton havia uma caneca com a foto de bonequinhos de pai e filho. No objeto estava escrito uma expressão comum do inglês,”Daddy I love you to the moon and back!”, que em português significa, “Pai, te amo até a lua e vice-versa”.

Na Austrália estão ocorrendo diversos incêndios florestais que são originários de cidades no litoral leste do país. Segundo informações divulgadas pela a Reuters, mais de 200 incêndios estão ativos nos estados de Nova Gales do Sul e Vitória. Nestas duas regiões, oito pessoas morreram desde a última segunda-feira (30) e há outras desaparecidas. Nos últimos meses, incêndios florestais já devastaram mais de 4 milhões de hectares de terras áridas e destruíram mais de mil casas.