Avô de menina que caiu do 11º andar de cruzeiro irá se declarar culpado pelo acidente

Mudança na posição de Salvatore Anello tem como objetivo um acordo judicial

Categorias

Compartilhe

Resumo da Notícia

  • Salvatore Anello, o avô da menina que caiu do 11º andar de um navio de cruzeiro, deverá se declarar culpado pela morte de Chloe
  • De acordo com o advogado da família, a mudança na posição de Anello visa um acordo judicial e possível redução da pena
  • Chloe Wiegand morreu aos 18 meses; a família é americana e passava férias no navio em Porto Rico

Salvatore ‘Sam’ Anello, o avô acusado de derrubar a menina Chloe Wiegand da janela do 11º andar de um navio de cruzeiro, deve se declarar culpado de causar sua morte. A escolha de Salvatore vem dias após um primeiro julgamento do caso no tribunal de San Juan, em Porto Rico.

Em comunicado enviado ao jornal Daily Mail por Michael Winkleman, advogado civil que representa a família Wiegand, Salvatore confirma sua mudança de posição em relação ao caso. “Essa decisão foi incrivelmente difícil para Sam e sua família, mas porque o acordo de confissão não inclui pena de prisão nem admissão de fatos ele decidiu seguir por esse caminho”, afirma o advogado.

Chloe tinha apenas 18 meses de vida (Foto: reprodução / The Sun)

O comunicado continua: “Foi decidido que o acordo judicial é do melhor interesse da família para que eles possam encerrar este capítulo horrível e voltar seu foco ao luto por Chloe e à luta pela segurança dos passageiros de cruzeiros, conscientizando-os sobre a necessidade de todas as companhias aéreas comuns aderirem à janela leis de prevenção de quedas projetadas para proteger as crianças das janelas.”

 

Relembre o caso

Chloe Wiegand, de 18 meses, morreu ao cair do 11º andar de um navio da empresa de cruzeiros Royal Caribbean em Porto Rico. De acordo com o advogado da família, o acidente aconteceu porque uma janela estava aberta sem sinalização de perigo na área de recreação infantil. A tragédia aconteceu em 7 de julho de 2019, quando Chloe Wiegand escorregou dos braços do avô, Salvatore Anello, e caiu da janela do cruzeiro Freedom of the Seas.

Chloe Wiegand, que morreu aos 18 meses ao ser jogada pela janela de um cruzeiro (Foto: Arquivo Pessoal)

A família, que mora no estado de Indiana, nos Estados Unidos, precisou continuar em Porto Rico para esperar a liberação do corpo. Abalados, não quiseram falar com a imprensa na época do acidente.“A família precisa de respostas sobre porque havia uma janela aberta em uma parede cheia de janelas travadas em uma área de recreação infantil. Por que você tinha um perigo desses sem nenhum aviso, alerta ou sinalização?”, questionou o advogado.

-Publicidade-

A Royal Caribbean Cruise, responsável pelo navio Freedom of the Seas, em comunicado oficial chamou a morte de Chloe de “incidente trágico” e informou que está prestando todo o apoio aos familiares.

A emissora de TV porto-riquenha La Comay teve acesso aos vídeos das câmeras de segurança no momento do acidente; as imagens foram divulgadas nesta terça-feira (17). Um dos vídeos mostra Salvatore Anello, o avô da criança, levantando Chloe em direção a uma janela que ele pensou ser fechada com vidro, mas foi por onde a menina caiu diretamente do 11º andar do navio em direção ao deck do porto de San Juan, em Porto Rico. Já um segundo vídeo mostra o mesmo momento, mas com uma visão lateral, com Anello aparecendo na tela e vendo enquanto sua neta cai pela janela. Os vídeos vieram a tona depois que as autoridades ofereceram a Salvatore Anello a chance de admitir homicídio por negligência de menor em troca de redução em sua pena.

Assista ao vídeo abaixo: