Após ser dado como morto, bebê é encontrado chorando em necrotério

Caso aconteceu no Paraná; criança, de apenas 48 dias de vida, não resistiu

Categorias

Compartilhe

Resumo da Notícia

  • Théo, bebê com apenas 48 dias de vida, foi internado com desconforto abdominal e refluxo.
  • Ele sofreu uma parada respiratória no hospital e foi declarado morto pela equipe de médicos.
  • Após ser encaminhado ao necrotério da cidade, o bebê foi encontrado chorando por funcionários do local.

Théo, um bebê de apenas 48 dias foi declarado morto em um hospital em Foz do Iguaçu, no Paraná. Cinco horas depois, ele estava chorando no necrotério da cidade – funcionários do local ouviram o choro da criança e entraram em contato com os pais e o hospital. O caso foi registrado no último domingo (12) e está sendo investigado pela Polícia Civil.

De acordo com informações do jornal Correio Braziliense, Gabriela Moraes, mãe do bebê, levou o filho recém-nascido ao hospital ao perceber que o bebê estava sentindo desconforto abdominal e refluxo. Isso aconteceu após a ingestão de fórmula à base de leite em pó. receitada pelo pediatra para ajudar a criança a ganhar peso. Ao chegar ao hospital, mãe e filho foram encaminhados para a ala de medicação. “Ele estava tomando soro no meu colo e de repente começou a chorar muito de dor e apagou no meu colo, parou de respirar”, contou Gabriela.

Théo, bebê que foi dado como morto e depois encontrado em necrotério, no colo dos pais (Foto: Reprodução/Facebook)

A equipe médica tentou reanimar o pequeno Théo por 40 minutos, mas acabou declarando a morte do bebê por broncoaspiração. Ele foi, então, encaminhado ao necrotério de Foz do Iguaçu, onde surpreendeu a todos ao começar a chorar. Os funcionários do local acionaram os pais da criança, que transferiram o bebê para outro hospital em Foz do Iguaçu. No entanto, a criança morreu na manhã desta segunda-feira (13), após sofrer duas paradas cardíacas.

 

-Publicidade-

“Apenas uma gripe”

Outro caso que surpreendeu o mundo foi o de um bebê recém-nascido que morreu após sofrer uma parada cardíaca. O menino já havia sido liberado pelos médicos duas vezes; de acordo com a mãe da criança, Laura Cooke, os especialistas consideraram as dificuldades respiratórias do filho como “apenas uma gripe”. De acordo com o jornal Daily Mail, Laura notou que o filho, Luchii Gavilescu, de apenas 48 dias, começou a desenvolver problemas respiratórios, então decidiu levá-lo ao hospital Queen Elizabeth the Queen Mother (QEQM), pois o médico de sua família não tinha consultas disponíveis. Ela alega que a equipe médica ignorou os sintomas, como a infecção por bronquiolite comum, e disseram que não era necessário realizar exames de sangue.

“Você espera poder colocar a saúde e os cuidados do bebê na confiança de médicos e hospitais. Isso foi completamente evitável. Nenhum Natal será o mesmo para nós. Isso acabou com nossas vidas”, lamentou Cooke. Um porta-voz do East Kent Hospitals disse que foi iniciada uma investigação sobre todos os procedimentos realizados em Luchii e que as respostas serão informadas aos pais da criança. “Continuaremos em contato com a família de Luchii. Pedimos desculpas pelas preocupações que eles. tiveram em relação aos cuidados que Luchii recebeu e trabalharemos o mais rápido possível para dar a eles as respostas que precisam”. A Universidade NHS East Kent Hospital Trust é a responsável pela investigação sobre a morte do bebê.