Acidente: criança tem a córnea queimada após esguichar álcool em gel no olho

Bento Smirelli, foi higienizar as mãos com o produto, no entanto, a válvula entupida acabou lhe causando a queimadura

Autor

Categorias

Compartilhe

Resumo da Notícia

  • Um menino de cinco anos teve grande parte da sua córnea queimada;
  • O acidente aconteceu quando, sem querer, o pequeno esguichou álcool em gel no olho;
  • Bento Smirelli, foi higienizar as mãos com álcool em gel, no entanto, a válvula entupida acabou lhe causando o acidente.

Um menino de cinco anos teve grande parte da sua córnea queimada quando, sem querer, esguichou álcool em gel no olho.  Bento Smirelli, foi higienizar as mãos com álcool em gel, no entanto, a válvula entupida acabou lhe causando o acidente.

De acordo com a mãe do menino, Bento sentiu muita dor mesmo após lavar os olhos:  “Na sexta-feira (17) o Bento foi higienizar as mãos com álcool gel 70%, quando ao apertar a válvula havia pressão e acabou espirrando em seu olho direito. Ele chorou muito, corri lavar com água corrente, a princípio tratei como se fosse shampoo ou sabonete e não melhorou, ele continuava chorando e até tremia de dor e me pediu que levasse ele ao médico”, relatou Camila Mendes.

Menino se queima com álcool em gel (Foto: reprodução/arquivo pessoal)

Nos hospital, a mãe foi informada que a córnea do pequeno havia sido queimada.  “Chegamos ao oftalmologista e a médica verificou que a córnea do Bento havia queimado quase inteira por conta do álcool! Então, houve a necessidade de sedação para a retirada de todo o resido do olho e foi liberado com os medicamentos necessários. O anestesista falou que não sabe como ele aguentou tanta dor, não era ardência era dor mesmo!”.

“A recuperação está sendo dolorosa. Mas a cada dia melhorando. Ele ainda não consegue abrir o olho direito. Os médicos falaram que tudo irá ficar bem”, contou Camila aliviada. O olho do menino sofreu queimaduras, mas, felizmente, ele não deve ter problemas de visão”.

Menino se queima com álcool em gel (Foto: Kelly Sikkema/ Unsplash)

Camila contou que achou necessário compartilhar a história do filho, para que outros pais pudesse ficar alertas: “Então esse é o relato dessa experiência horrível do meu pequeno. Porém, compartilho para que outras crianças não passem pela dor que ele sentiu”.