Ex-atleta, que teve corpo queimado, dá à luz segundo filho

Ele é fruto da relação de Turia Pitt com Michael Hoskin

Categorias

Compartilhe

Resumo da Notícia

  • Turia Pitt, deu as boas-vindas ao seu segundo filho, o bebê Rahiti
  • Ele é fruto da relação da ex-atleta com Michael Hoskin
  • Eles já são pais do Hakavai, de dois anos

A inspiradora história da sobrevivente de queimaduras, Turia Pitt, deu as boas-vindas ao seu segundo filho, o bebê Rahiti, com seu noivo Michael Hoskin. O jogador, de 32 anos, fez o anúncio alegre no Instagram no último domingo (9). “Bem-vindo ao mundo Rahiti”, ele legendou. O nome de seu menino é descendente de polinésios e significa sol nascente.

Turia quando estava grávida, seu marido, Michael Hoskin e seu filho, Hakavai. (Foto: Reprodução/Daily Mail)

Na foto, a mãe é vista olhando para a câmera enquanto está coberta em uma manta cinza e seu filho repousa sobre o peito. Os amigos famosos de Turia comentaram rapidamente na da foto. A modelo Megan Gale foi a primeira a responder ao post. “Apenas precioso. Parabéns e muito amor a você e à família“. Enquanto isso, Jesinta Franklin, que está esperando seu primeiro filho e deve dar à luz em breve, também se juntou ao coro de votos de felicidades. 

A ex-atleta e Michael já são pais orgulhosos do filho de dois anos, Hakavai. Ela disse à revista Stellar, em outubro de 2018, que a chegada de seu primeiro filho mudou todas as metas de sua vida. “Ter um bebê me mudou e, quando você se torna mãe, percebe rapidamente que toda a sua vida se encaixa nos seus filhos. Não quero ficar correndo por cinco horas seguidas. Sei como a vida é preciosa e prefiro ficar com meu filho”, disse.

-Publicidade-

Recentemente, a famosa compartilhou suas lutas em meio ao incêndio catastrófico da Austrália, nove anos depois de ter sofrido queimaduras horríveis em 65% do corpo. A crise do país trouxe de volta memórias assustadoras para a mãe, pois que ela foi pega em um incêndio florestal durante uma ultra maratona em setembro de 2011.

Ela tinha apenas 24 anos na época em que ficou presa após um incêndio descontrolado atravessar um desfiladeiro na região de Kimberley, na Austrália Ocidental. “Foram algumas semanas difíceis para mim, emocionalmente falando. Eu tive que me concentrar em não deixar minhas emoções e experiências próprias me derrotarem”, contou.