Coronavírus: Filhos de Kate Middleton e Príncipe William passam a estudar em casa

O príncipe George e a princesa Charlotte devem assistir às aulas na internet

Autor

Categorias

Compartilhe

Resumo da Notícia

  • Uma das medidas de segurança contra o coronavírus é pedir que as crianças estudem em casa
  • O príncipe George e a princesa Charlotte vão adotar essa medida
  • As aulas serão disponibilizadas em uma plataforma online pela escola 

Família do Kensington Palace (Foto: Reprodução / Instagram)

No Brasil, escolas suspenderam as aulas a fim de incentivar uma quarentena. Alguns países que contam muitos casos de coronavírus também tomaram essa atitude. Até o príncipe George e a princesa Charlotte vão estudar em casa. 

De acordo com o Metro UK,  dois alunos que viajaram à Itália,  suspeitarem da doença e se afastarem da escola Thomas’s Battersea, onde estudam os pequenos da realeza. Em comunicado oficial, a instituição de ensino cancelou as aulas. 

“Pedimos aos pais que mantenham seus filhos em casa e acessem suas lições através de plataformas online. Isso garantirá que as crianças tenham continuidade de aprendizado quando não puderem frequentar a escola. (…) Continuamos oferecendo a melhor solução possível para nossos alunos durante esses tempos difíceis”, afirmou um porta-voz da escola à imprensa britânica nesta quarta-feira (18).

Os pequenos, que  são filhos de Kate Middleton e Príncipe William e continuam assistindo as aulas remotamente. 

Rainha Elizabeth II

-Publicidade-

A própria Rainha Elizabeth, bisavó dos pequenos também precisou mudar os hábitos. O governo do Reino Unido,  trabalha com a hipótese de que a disseminação do novo coronavírus se prolongará até 2021 no país e contagiará 50 milhões de pessoas. Pensando em segurança, a rainha Elizabeth, de 93 anos e o marido, Philip, de 98 anos, se mudaram da residência oficial da família real britânica. 

Foram mais de mil casos do novo coronavírus na Inglaterra e 21 mortes decorrentes da doença. A monarca mudou-se para o sudeste do país, no Castelo de Windsor. Entretanto, se a situação não melhorar, o Governo avalia manter o casal em quarentena na cidade de Sandringham, onde fica a casa de campo da família.

O palácio de Buckingham, localizado no centro de Londres é perigoso para o casal – que já está no grupo de risco – por contar com mais de quinhentos funcionários.