Angelina Jolie não pensava em ser mãe antes de interpretar personagem

Angelina disse que suas convicções sobre a maternidade mudaram graças aos seus trabalhos como atriz

Categorias

Compartilhe

O sonho de Angelina Jolie sobre a maternidade não esteve desde sempre em sua vida. O desejo surgiu ao longo da sua carreira e hoje a atriz é referência na maternidade no mundo de Hollywood e conhecida por ser mãe de cinco filhos.

Após as gravações da sequência de Malévola, Angelina voltou a falar sobre o assunto devido a semelhança de sua história com a da personagem. No filme, Malévola não tinha afeição por Aurora até conhecê-la e se tornar super-protetora da princesa.

As convicções de Angelina mudaram profundamente depois das gravações do longa Lara Croft: Tomb Raider (2001), no Camboja. Comovida pela acolhida e humildade do povo, a maternidade da atriz mudou os rumos.  “De repente, ficou muito claro para mim que meu filho estava no país, em algum lugar”, lembra a atriz. Foi na mesma região, no orfanato de Battambang, que ela adotou o primeiro filho, Maddox, 18.

Foto: Reprodução Instagram

No ano de 2005, a atriz adotou a menina, Zahara Marley, 14, na Etiópia. Na época, já se relacionava com o ator Brad Pitt, com quem teve sua primeira filha biológica, Shiloh Nouvel, 13, em 2006. Após um ano, o casal adotou Pax Thien, 16, quando tinha apenas três anos, em um orfanato do Vietnã.

-Publicidade-

Durante o Festival de Cinema de Cannes, em 2008, o casal anunciou que estavam grávidos de gêmeos. A atriz deu à luz Knox Léon, 11, e Vivienne Marcheline, 11, na cidade de Nice, França.

A declaração da atriz sobre o papel de Malévola se assemelha à sua realidade com os filhos biológicos e adotados. “A maternidade pode não ser tradicional, mas ela ama sua filha com todas as suas forças”, disse Angelina após a estreia do filme.

Jolie ainda fala sobre o que é ser uma verdadeira família ao comentar sobre a relação dos seus filhos. “Quando você sabe que seus filhos se amam e vê a forma com que, sem dizer, nem pressionar, escrevem bilhetes, se abraçam, se cuidam, se apoiam… Então, você sente que eles vão ficar bem e que sempre terão um ao outro.”